Pope Francis

Pope Francis

Sunday, 26 April 2015

Encontrar Deus lá onde não O conseguimos ver


Misericordiae Vultus en - GRACE, MERCY, AND PEACE (5)

We will entrust the life of the Church, all humanity, and the entire cosmos to the Lordship of Christ, asking him to pour out his mercy upon us like the morning dew, so that everyone may work together to build a brighter future. How much I desire that the year to come will be steeped in mercy, so that we can go out to every man and woman, bringing the goodness and tenderness of God! May the balm of mercy reach everyone, both believers and those far away, as a sign that the Kingdom of God is already present in our midst!

Thursday, 23 April 2015

Misericordiae Vultus en - GRACE, MERCY, AND PEACE (4)

May the Holy Spirit, who guides the steps of believers in cooperating with the work of salvation wrought by Christ, lead the way and support the People of God so that they may contemplate the face of mercy.

http://w2.vatican.va/content/francesco/en/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html   

17/4/2015 Pope Francis (@Pontifex): Mary, help us to understand God’s will in moments of great suffering

Mary, Mother of Sorrows, help us to understand God’s will in moments of great suffering.

Pope Francis ()

14/4/2015 Pope Francis (@Pontifex): The Lord never tires of forgiving us

The Lord never tires of forgiving us.  It is we who get tired of asking for pardon.

Pope Francis ()

Cair

"cair acontece, mas levantar-se depende de nós"

(http://eupadre.blogspot.in/ )

Tuesday, 21 April 2015

Aimer, c’est vouloir obstinément le bonheur de l’autre, Père Louis de Borman, 1908 - 1979


Domingo, 19 de Abril de 2015, placa num edificio do Parc Parmentier em Bruxelas. Percorro a internet mas não encontro nada sobre este padre do século passado. Felizmente existem as pedras.

Vatican makes Kannada principal language in Bangalore churches

 

Bangalore:  Vatican's Congregation for Evangelization of People has asked parishes under Bangalore archdiocese to encourage Mass and services in Kannada saying the main language of the Churches in the state should be Kannada.

http://www.ucanindia.in/news/vatican-makes-kannada-principal-language-in-bangalore-churches/28649/daily

Monday, 20 April 2015

A doutrina cristã sobre a dor não é um programa de fáceis consolações

"Tenho ainda a propor-vos uma outra consideração: devemos lutar sem descanso por fazer o bem, precisamente por sabermos que nos é difícil, a nós, homens, decidirmo-nos a sério a exercer a justiça, e é muito o que falta para que a convivência terrena esteja inspirada pelo amor e não pelo ódio ou pela indiferença.

Não esqueçamos também que, mesmo que consigamos atingir um estado razoável de distribuição dos bens e uma harmoniosa organização da sociedade, não há-de desaparecer a dor da doença, da incompreensão ou da solidão, a dor da experiência dos nossas próprias limitações.

Em face dessas penas, o cristão só tem uma resposta autêntica, uma resposta definitiva: Cristo na Cruz, Deus que sofre e que morre, Deus que nos entrega o seu Coração, aberto por uma lança, por amor a todos. Nosso Senhor abomina as injustiças e condena quem as comete. Mas, como respeita a liberdade das pessoas, permite que existam. Deus Nosso Senhor não causa a dor das criaturas, mas tolera-a como parte que é – depois do pecado original – da condição humana. E, no entanto, o seu Coração, cheio de amor pelos homens, levou-O a tomar sobre os seus ombros, juntamente com a Cruz, todas essas torturas: o nosso sofrimento, a nossa tristeza, a nossa angústia, a nossa fome e sede de justiça.

A doutrina cristã sobre a dor não é um programa de fáceis consolações. Começa logo por ser uma doutrina de aceitação do sofrimento, inseparável de toda a vida humana. Não vos posso esconder – e com alegria pois sempre preguei e procurei viver a verdade de que, onde está a Cruz está Cristo, o Amor – que a dor apareceu muitas vezes na minha vida; e mais de uma vez tive vontade de chorar. Noutras ocasiões, senti crescer em mim o desgosto pela injustiça e pelo mal. E soube o que era a mágoa de ver que nada podia fazer, que, apesar dos meus desejos e dos meus esforços, não conseguia melhorar aquelas situações iníquas.

Quando vos falo de dor, não vos falo apenas de teorias. Nem me limito a recolher uma experiência de outros, quando vos confirmo que, se sentis, diante da realidade do sofrimento, que a vossa alma vacila algumas vezes, o remédio que tendes é olhar para Cristo. A cena do Calvário proclama a todos que as aflições hão-de ser santificadas, se vivermos unidos à Cruz.

Porque as nossas tribulações, cristãmente vividas, se convertem em reparação, em desagravo, em participação no destino e na vida de Jesus, que voluntariamente experimentou, por amor aos homens, toda a espécie de dores, todo o género de tormentos. Nasceu, viveu e morreu pobre; foi atacado, insultado, difamado, caluniado e condenado injustamente; conheceu a traição e o abandono dos discípulos; experimentou a solidão e as amarguras do suplício e da morte. Ainda
agora, Cristo continua a sofrer nos seus membros, na Humanidade inteira que povoa a Terra e da qual Ele é Cabeça e Primogénito e Redentor.

A dor entra nos planos de Deus. Ainda que nos entendê-la, é esta a realidade. Também Jesus, como homem, teve dificuldade em admiti-la: 'Pai, se é possível, afasta de Mim este cálice! Não se faça, porém, a minha vontade, mas a tua!'.

Nesta tensão entre o sofrimento e a aceitação da vontade do Pai, Jesus vai serenamente para a morte, perdoando aos que O crucificaram.

Ora, esta aceitação sobrenatural da dor pressupõe, por outro lado, a maior conquista. Jesus, morrendo na Cruz, venceu a morte. Deus tira da morte a vida. A atitude de um filho de Deus não é a de quem se resigna à sua trágica desventura; é, sim, a satisfação de quem já antegoza a vitória.

Em nome desse amor vitorioso de Cristo, nós, os cristãos, devemos lançar-nos por todos os caminhos da Terra, para sermos semeadores de paz e de alegria, com a nossa palavra e nossas obras. Temos de lutar – é uma luta de paz – contra o mal, contra a injustiça, contra o pecado, para proclamarmos assim que a actual condição humana não é a definitiva; o amor de Deus, manifestado no Coração de Cristo, conseguirá o glorioso triunfo espiritual dos homens."

São Josemaría Escrivá, Cristo que passa, 168

Saturday, 18 April 2015

National Peace Movement

Indore: Peace activists from different religions across India together launched a national movement for peace Thursday in Indore aiming to resolve conflicts and build communities of peace based on diversity.

Love's Companions: Patience, Obedience, Humility

Love never stands alone but has her companions all the true solid virtues, because all the virtues have life from charity's love...And among love’s companions is patience, the very marrow of love and the clear sign of whether the soul is in grace and is loving in truth or not. This is why charity, the mother, has given obedience patience as a sister and has so joined the two together that the one can never be lost without the other. Either you have both or you have neither.

Obedience has a wet nurse, true humility, and the soul is as obedient as she is humble, and as humble as she is obedient.

St. Catherine of Siena, The Dialogue

http://intheirhearts.blogspot.be/2014/04/loves-companions-patience-obedience.html

Thursday, 16 April 2015

Iglesia de San Miguel, Cozumel, México, 15 de Abril de 2015

Misericordiae Vultus en - GRACE, MERCY, AND PEACE (2)

We need constantly to contemplate the mystery of mercy. It is a wellspring of joy, serenity, and peace. Our salvation depends on it. Mercy: the word reveals the very mystery of the Most Holy Trinity. Mercy: the ultimate and supreme act by which God comes to meet us. Mercy: the fundamental law that dwells in the heart of every person who looks sincerely into the eyes of his brothers and sisters on the path of life. Mercy: the bridge that connects God and man, opening our hearts to a hope of being loved forever despite our sinfulness.

Wednesday, 15 April 2015

O Deus de Jesus é Amor

Se Deus é amor, então ele não pode fazer nada que vá contra o amor, pois seria negar-se a si mesmo. Se Deus é amor não pode deixar de amar de modo incondicional.
 
Deus não esteve à espera que fôssemos bons para gostar de nós. Se Deus é amor, então a justiça de Deus não é a justiça dos tribunais, mas sim a justiça do amor, isto é, aquela que está presente nas relações dos pais para com os filhos dos quais gostam muito.
A justiça do amor é aquela que anima as relações dos esposos que se amam profundamente. Se Deus é amor, então só pode aquilo que pode o amor, isto é, amar a todos e de modo incondicional. Quando o casal recorre aos tribunais para resolver os seus problemas ou dificuldades é sinal que o amor já morreu entre eles.
Jesus pedia às pessoas para imitarem o Pai do Céu, procurando ser bondosos, compassivos e sempre dispostos a perdoar (Lc 6, 36). Jesus ensinava os discípulos a exercitar a bondade, a fim de serem perfeitos como Deus é perfeito (Mt 5, 48). O próprio Jesus perdoou aos seus assassinos, pedindo para eles o perdão de Deus no momento da sua morte.
As atitudes de Jesus para com os pecadores demonstravam exactamente a bondade de Deus para com os pecadores.
Como é amor, Deus só pode aquilo que pode o amor, pois não se pode negar a si mesmo. Além disso, perdoa de graça.
Não temos razão para ter medo de Deus, pois ninguém tem razão para ter medo do amor.

Tuesday, 14 April 2015

Misericordiae Vultus pt - GRAÇA, MISERICÓRDIA E PAZ (2)

Precisamos sempre de contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia: é o acto último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida. Misericórdia: é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado.

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

Monday, 13 April 2015

Misericordiae Vultus pt - GRAÇA, MISERICÓRDIA E PAZ (1)

Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai. O mistério da fé cristã parece encontrar nestas palavras a sua síntese. Tal misericórdia tornou-se viva, visível e atingiu o seu clímax em Jesus de Nazaré.

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

Misericordiae Vultus it - GRAZIA, MISERICORDIA E PACE

BOLLA DI INDIZIONE DEL GIUBILEO STRAORDINARIO DELLA MISERICORDIA
FRANCESCO
VESCOVO DI ROMA
SERVO DEI SERVI DI DIO
A QUANTI LEGGERANNO QUESTA LETTERA
GRAZIA, MISERICORDIA E PACE

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

Misericordiae Vultus fr - GRÂCE, MISÉRICORDE ET PAIX

BULLE D'INDICTION DU JUBILÉ EXTRAORDINAIRE DE LA MISÉRICORDE
FRANÇOIS
EVÊQUE DE ROME
SERVITEUR DES SERVITEURS DE DIEU
À CEUX QUI LIRONT CETTE LETTRE
GRÂCE, MISÉRICORDE ET PAIX

http://w2.vatican.va/content/francesco/fr/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

Sunday, 12 April 2015

Misericordiae Vultus es - GRACIA, MISERICORDIA Y PAZ

BULA DE CONVOCACIÓN DEL JUBILEO EXTRAORDINARIO DE LA MISERICORDIA
FRANCISCO
OBISPO DE ROMA
SIERVO DE LOS SIERVOS DE DIOS
A CUANTOS LEAN ESTA CARTA
GRACIA, MISERICORDIA Y PAZ

http://w2.vatican.va/content/francesco/es/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

Misericordiae Vultus en - GRACE, MERCY, AND PEACE

BULL OF INDICTION OF THE EXTRAORDINARY JUBILEE OF MERCY
FRANCIS
BISHOP OF ROME
SERVANT OF THE SERVANTS OF GOD
TO ALL WHO READ THIS LETTER
GRACE, MERCY, AND PEACE
 
http://w2.vatican.va/content/francesco/en/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

Misericordiae Vultus pt - GRAÇA, MISERICÓRDIA E PAZ

BULA DE PROCLAMAÇÃO DO JUBILEU EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA
FRANCISCO
BISPO DE ROMA
SERVO DOS SERVOS DE DEUS
A QUANTOS LEREM ESTA CARTA
GRAÇA, MISERICÓRDIA E PAZ

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html

10/4/2015 Pope Francis (@Pontifex): in our lives

We can bring the Gospel to others only if it has made a deep impact in our lives.

Pope Francis ()

10/4/2015 Papa Francisco (@Pontifex_pt): a nossa vida

Podemos levar o Evangelho aos outros, se ele permear profundamente a nossa vida.


Papa Francisco )

10/4/2015 Papa Francesco ‏(@Pontifex_it): la nostra vita

Possiamo portare il Vangelo agli altri se esso permea profondamente la nostra vita.
Papa Francesco (@Pontifex_it)

10/4/2015 Pape François (@Pontifex_fr): notre vie

Nous pouvons porter l’Évangile aux autres s’il imprègne profondément notre vie.

Pape François (

Chaque matin

Chaque matin nous offre un présent à jardinier et un avenir à fleurir.

Frère Benjamin Kabongo
ofm
(http://webupw.bxl.catho.be/)

10/4/2015 Papa Francisco (@Pontifex_es): en nuestras vidas

Si el Evangelio arraiga profundamente en nuestras vidas, seremos capaces de llevarlo a los demás.

Papa Francisco ()

Saturday, 11 April 2015

Trees without roots

Answers without questions (...) are like trees without roots. But how often are ‘Christian truths’ presented to us like felled, lifeless trees in which birds can no longer find a nest?

Tomáš Halík, "Patience with God"